Buscar
  • Alexandre Branco-Pereira

Reunião virtual encaminha criação de Grupo Técnico sobre saúde da população migrante em São Paulo

FENAMI e Rede coordenaram a articulação com apoio do mandato do vereador Eduardo Suplicy. Reunião contou com representantes da sociedade civil, mandatos parlamentares e a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.


Foi realizada hoje, 17/12, reunião virtual entre membros da sociedade civil, mandatos parlamentares e o poder público municipal de São Paulo para discutir estratégias para promoção da saúde da população migrante da cidade.

Reunião virtual para debater estratégias de saúde para a população migrante de São Paulo.

Estiveram presentes a Frente Nacional pela Saúde de Migrantes, o vereador Eduardo Suplicy (PT), a Rede de Cuidados em Saúde para Imigrantes e Refugiados, o Conselho Municipal de Imigrantes, o Fórum Internacional Fronteiras Cruzadas, o Conselho Municipal de Saúde, o Coletivo Si Yo Puedo!, os mandatos das vereadoras Luana Alves (PSOL), integrante da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de São Paulo, e Juliana Cardoso (PT), e, pela Secretaria Municipal de Saúde, a Secretaria-Executiva de Atenção Básica, a Coordenadoria de Vigilância em Saúde, a Área Técnica de Saúde do Migrante, a Coordenadoria da Atenção Básica e o Programa Municipal de Imunização.

O encontro resultou na aprovação da instalação de um Grupo Técnico, com representantes da sociedade civil, conselhos municipais, mandatos parlamentares e SMS-SP, que terá como objetivo pensar e articular uma estratégia de promoção de saúde para migrantes. A FENAMI ficou responsável de coordenar a instalação do GT, prevista para o início de 2022.

Reunião virtual para debater estratégias de saúde para a população migrante de São Paulo.

A reunião foi solicitada pelo vereador Eduardo Suplicy em 16/09, após a FENAMI e a Rede de Cuidados em Saúde para Imigrantes e Refugiados enviarem documento manifestando preocupação em relação à vacinação de migrantes contra a Covid-19. À época, apesar do anúncio de que 100% da população paulistana estava imunizada contra a Covid-19, as organizações ainda detectavam um grande número de migrantes que não haviam tomado nenhuma dose da vacina.

Um documento com sete propostas de estratégias de para promoção de saúde de migrantes no município foi enviado à SMS-SP e aos mandatos parlamentares. O documento pode ser conferido na íntegra na imagem abaixo.



86 visualizações0 comentário